antes de ir

nesse último mês teve de tudo um pouco: horta, macrobiótica, literatura, bichos, mais construção natural, encontro aguardado com irmã (e outros encontros inesperados também). na próxima semana tem Goiás.

mas, antes de ir embora daqui, queria registrar uma coisa já um pouco antiga. quando comecei a viver em Cholila, eu lia muito jornal. em parte, pra aprender o castelhano e, em parte, pra ficar um pouco por dentro dos temas locais. lembro uma notícia que me chocou muito na época: era sobre o número de estrangeiras que tinham sido estupradas recentemente no norte do país. a reportagem narrava dois casos que tinham ocorrido na mesma semana na província de Salta, se não me engano. em uma das histórias, o estuprador era um guia que a tal turista havia contratado para fazer uma trilha.

o mais impressionante da reportagem, porém, era a declaração do secretário de segurança sobre o caso: ele disse que não se sabia bem como as coisas tinham se passado e que talvez a culpa tivesse sido um pouco das estrangeiras, que se costumam se sentir seguras demais em outros países. a culpabilização da mulher estuprada é um discurso que nunca deveria estar presente, mas Continuar lendo

começo

vou ser muito sincera.

eu criei este blog antes mesmo de sair do rio, mas não foi por falta de internet nem de computador que ele ainda não foi “inaugurado”. também não foi por falta do que dizer, porque neste último mês muita coisa aconteceu e acho que vai continuar acontecendo.

na verdade, o problema é que simplesmente não encontrei ainda um formato ideal pra escrever aqui – talvez as tentativas de postar com alguma regularidade venham a me ajudar. eu adoro ler relatos detalhados de viagem, com todas as dificuldades e descobertas das pessoas, mas descobri que, quando se trata de fazer meu próprio relato, tenho uma preguiça inacreditável.

eu já poderia ter contado nossos dias de descanso em montevidéu (quando ainda estava com leila e maíra)…

Continuar lendo