memória

“do que você mais gostou?” é a pergunta que meus pais me fazem desde sempre quando eu volto de algum passeio, seja sozinha, com amigos, com escola ou com família. e eu detesto, porque nunca sei o que responder e fico com cara de boba tentando escolher alguma coisa aleatoriamente.

pois agora, se me vierem com essa indagação em relação a Santiago, a resposta está na ponta da língua:  minha coisa preferida foi o museu da memória e dos direitos humanos. ele é muito recente – de 2010 – e tem uma mostra permanente enorme com uma quantidade espantosa de material sobre a ditadura de 1973-1990. além disso, no subsolo funciona um centro de documentação público que me pareceu organizadíssimo.

o museu poderia, é verdade, explicar melhor a situação que o Chile vivia imediatamente antes do 11 de setembro, e não o faz: o enfoque é o que aconteceu durante a ditadura, e não o que vinha ocorrendo antes nem como o golpe foi organizado. mesmo assim, a visita vale muito a pena. Continuar lendo