encosta a sua cabecinha

o Houaiss tava dando sopa na minha frente, decidi abrir e ver as definições de “manha”. algumas delas: “habilidade de enganar, despistar, desorientar; astúcia, esperteza, malícia”, “meio oculto, processo particular e eficaz para alcançar um objetivo, conseguir um dado efeito; segredo”, “choro ou lamento de criança, obstinado e sem motivo”.

eu sou meio chorona. nunca choro porque tenho fome ou sede ou porque estou suja, mas é comum eu chorar de saudade, de solidão, de medo, porque quero colo. nos últimos tempos já me peguei chorando de sono algumas vezes, madrugada adentro. no meio desses choros, se alguém me distrai ou me consola, com frequência eu dou uma risadinha antes de cair no choro de novo. às vezes eu choro pelos motivos mais malucos (ano passado chorei horrores num dia em que, grávida e com a pressão meio baixa, entrei na fila preferencial e as pessoas ao redor começaram a gritar que eu era fura-fila. isso porque, mesmo com seis meses de gestação, eu tinha a barriga pequena. fui pra casa aos prantos, soluçando). engraçado, ninguém nunca diz que eu tô fazendo manha.

conheço muito marmanjo que chora porque o time perdeu a final do campeonato. tem gente que chora porque foi abandonado pela mulher. há quem chore quando o filho vai morar fora de casa. algumas pessoas choram quando são roubadas e, outras, em dias difíceis, choram até porque perderam o ônibus. tem mãe que chora porque o filho é gay. tem empregado que chora porque o chefe é injusto. tem gente que chora sem saber o porquê, faz tratamento com remédio de tarja preta e o cacete.

nunca vi nenhum amigo ou familiar dessas pessoas rir e dizer: “putamerda, tá de sacanagem, né? que choro sem sentido! sem motivo! SÓ PODE SER MANHA”

minha filha tem quatro meses. eu não quero fazer pouco caso da inteligência dela, mas acho pouco provável que ela tenha maturidade mental pra fazer manha.  é como se eu a considerasse mal educada porque solta pum e arrota na cara dos outros, sabe assim? também duvido muito que chore sem motivo. tipo: “tô tão feliz e satisfeita que vou chorar um bocado pra não perder o costume!”, ou “sei que meus pais estão planejando ver um filme logo que eu dormir – vou ficar acordada e chorar bastante só pra não deixar!” ou ainda “eu nem preciso de colo de verdade, mas vou chorar fingindo que preciso!”

ela às vezes (bem raramente) chora porque tem fome ou está com a fralda suja. muitas, muitas, MUITAS vezes  chora porque está cansada e ainda não aprendeu a descansar. tem dias que ela chora mesmo já tendo dormido, mamado, estando limpa e com roupas adequadas à temperatura. eu fico perdidinha, mas penso que a coitada mal acabou de sair da barriga, ainda tá entendendo o mundo aqui fora. e que ela não só não sabe expressar de outra maneira que tem algo errado como também, muito provavelmente, nem sabe entender ela própria o que é que tem de errado.

então eu brinco um pouco, dou colo, dou abraço, dou peito (“mas não é possível que ela esteja com fome!” – talvez não esteja, mesmo, mas meu peito tem mil outras funções além da de refeitório ambulante) e ela eventualmente se acalma. e, durante todo o processo, sempre tem alguém pra dizer que ela é uma “danada”, que aquilo era manha.

tudo ok. mas eu vou dizer a mesma coisa quando você me ligar dizendo que tá meio deprê ou quando precisar de rivotril pra dormir, beleza?

Anúncios

4 comentários sobre “encosta a sua cabecinha

  1. Celina De Fatima Massi Pires 18/06/2014 / 14:20

    Muito bom Raquel, a cada uma de suas postagens , eu me delicio! Fico imaginando como seria bom se todos pudessem ter acesso aos seus “ensinamentos” que é tudo tão intenso e da forma que você coloca os sentimentos e sua experiência é perfeito e claro. Acho que você deveria ser palestrante, pois este conceito de dizer que a criança é manhosa e birrenta vem de longa data e tenho certeza que com tão pouca idade é impossivel fazer esta leitura. Parabéns por mais este presente. beijos

  2. Camila Araújo 11/08/2014 / 14:08

    Desmistificou o clichê! é muito mais fácil dizer que é manha do que levar em conta tudo o que você disse, é só um bebezinho…

  3. Rita Elizabeth Pimentel Torres Gurgel 20/08/2014 / 22:03

    Como sempre as palavras parecem saber onde ficar na sua escrita. Sua filha que não é manhosa, pois é minha neta linda, é um bebê que você já conhece melhor do que muitas outras mães. Parabéns Raquel muito bonito tudo isso. Beijos

comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s