quem é vivo…

desapareci.

não foi por mal, mas aos poucos começou a me parecer muito cacete demais escrever este blog, sobretudo quando ninguém – além da tríade mãe-pai-irmã – dava a menor pelota pra ele. mas me dei conta de que, afinal, é mesmo bacana manter este registro. e de que eu não tinha escrito nada desde que pisei de novo no Brasil. poxa, ficaram de fora logo as melhores partes da viagem!

é, meus caros, a Argentina pode até ser (e é) o maior barato, mas acho que a minha sina é positivamente verde e amarela feito a bananeira. falando nisso, todos aqueles meses comendo banana importada do Equador… não, não estava direito. foram meses também sem manga, sem água de coco, sem aipim (não vi nenhum bonito), sem inhame (as únicas pessoas que conheci que sabiam o que era inhame foram os macrobióticos), sem couve, sem barraquinhas vendendo tapioca e milho verde, sem isso e aquilo… dava não.

e, por mais que minhas saudades pareçam todas de gulodice, faltavam também a praia, o sambinha, o forró, faltava ver um povo mais colorido (e não estou falando de roupa: o caso é pele, mesmo), isso sem falar num inverno justo como o nosso, que faz a gente querer sair correndo pra colocar um cachecol e um casacão quando nem bem faz 15º.

mas o que me fazia mais falta, o que me dava realmente um aperto daqueles, acho que era o bom e velho português – o idioma, quero dizer. falo isso no duro, sem nenhum pseudopatriotismo embutido. dia desses revi o excelente filme Língua e, de verdade, é gostoso demais, engraçadinho demais e confortável demais reconhecer alguma unidade na diversidade de tantas línguas portuguesas espalhadas pelo mundo.

essa língua que se impôs por aí de forma tão triste e violenta na história, mas que eu adoro e acho uma das coisas mais lindas. como é esplêndido sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões, como gosto do Pessoa na pessoa, da rosa no Rosa, de caetanices mil, ai…!

e como é bom, no filme, ouvir todas essas nuances do português em Portugal, Moçambique, Índia, Angola e, de repente, não mais que de repente, a delícia do brasileiro na voz do seu amigo camelô, que pede licença entre os bancos do ônibus para trazer aos senhores passageiros aquelas mercadorias diversas… porque a língua é muito mais que a língua. é todo um jeitão, um colorido que não tem mais em lugar nenhum.

o castelhano é adorável – toda língua tem seu charme –, mas não tem jeito. conheci uma francesa completamente apaixonada pelo Brasil que vivia aqui há 20 anos mas, na hora de fazer carinho nos filhos (e nos gatos) e de brigar com eles, era em francês que ela falava. quer coisa mais simbólica?

já comentei isso antes, quando escrevi sobre literatura. eu poderia viver longe por séculos, mas nada nunca seria tão espontâneo em mim como o brasileiro. e juro que não tem nada a ver com nenhum orgulho nacionalista, não. nem sei o que é.

e aí que eu me perdi. a intenção era falar sobre Pirenópolis e Aldeia Velha – os dois lugares onde estive desde que voltei pra “casa”–, mas agora já usei demasiados espaço e tempo.

serão cenas dos próximos capítulos.

Anúncios

10 comentários sobre “quem é vivo…

  1. Nath 01/10/2012 / 19:10

    Eu Tb acompanhava seu blog! E to feliz q vc voltou a escrever! Ótimo saber q vc ta em solo verde e amarelo ;) um fds desses vou tr fazer uma surpresa aí onde vc esta! Obs.: como vc escreve bem hein menina… Tinha q divulgar mais o seu blog! Ahh volta pro face!!!!!!! Bjs

  2. Nath 01/10/2012 / 19:11

    so mais uma coisa: quem e querida e amada nao desaparece nunca…

  3. Leila 02/10/2012 / 02:32

    também reivindico o posto de leitora do blog! quel, lindo post. escreva mais!

  4. Aline Chaves 02/10/2012 / 19:41

    Ei, Raquel!!! Arranjou mais uma leitora da travessia.
    Pode continuar a contação da história. Estaremos aqui de olhos abertos para escutar…

  5. veronica 03/10/2012 / 01:30

    Razinha, concordo em gênero, numero e grau. Mesmo morando em portugal eu já me sentia numa lingua estrangeira, meio tropeçando nas palavras, imagino em outra lingua. =)

  6. Rita Elizabeth Pimentel Torres Gurgel 03/10/2012 / 02:35

    Posso comentar? Mãe é assim: só elogia as filhas. Mas como não o fazer? Maravilha o que eu acabei de ler, tenho até medo de errar, por isso vou fazer logo o pedido: continue escrevendo você não sabe como é gostoso acompanhar sua travessia. Beijocas

  7. Celina Massi 03/10/2012 / 17:28

    Eu tambem gosto e ler e participar de sua travessia, só que no corre corre, as vezes esquecemos de nos comunicar, mas me agrada muito a leitura, é como se estivesse fazendo junto a travessia, continue nos participando , é gratificante. beijos,

  8. Teresa Cristina Bull F. Campos 03/10/2012 / 23:00

    Oi, Raquel! Eu leio sim seus comentários. Só não sou de comentar. Vou confessar que não li todos, mas os que li, gostei bastante. Você se sai muito bem, consegue nos fazer viajar com você. Há tempos não nos vemos, e fiquei muito feliz em ver sua desenvoltura no blog. Continue a escrever sim, não importa quantos leem e comentem. O importante é deixar seu belo registro. Beijos.

  9. nath 18/10/2012 / 23:46

    ra!!!!! tentei te ligar (celular fora de area), vc tb nao tem mais face..entao vim ate aqui para te desejar um FELIZ ANIVERSARIO minha amiga!!!! espero que seu dia tenha sido mt feliz, em paz…queria te dar um abraco de feliz aniversario mas como vc ta longe, sinta-se abracada!! desejo a vc as coisas mais maravilhosas que possam existir, que no caminho que vc esta trilhando aparecam pessoas e momento inesqueciveis…e que vc volte de vez em quando pra matar a saudade de quem ficou por aqui!!! ta na hora de escrever outro post hein…qd der, me liga… bjs com carinho, nath

  10. Raquel Torres 05/11/2012 / 12:28

    opa, desculpem os leitores pela malcriação!! :)

comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s