começo

vou ser muito sincera.

eu criei este blog antes mesmo de sair do rio, mas não foi por falta de internet nem de computador que ele ainda não foi “inaugurado”. também não foi por falta do que dizer, porque neste último mês muita coisa aconteceu e acho que vai continuar acontecendo.

na verdade, o problema é que simplesmente não encontrei ainda um formato ideal pra escrever aqui – talvez as tentativas de postar com alguma regularidade venham a me ajudar. eu adoro ler relatos detalhados de viagem, com todas as dificuldades e descobertas das pessoas, mas descobri que, quando se trata de fazer meu próprio relato, tenho uma preguiça inacreditável.

eu já poderia ter contado nossos dias de descanso em montevidéu (quando ainda estava com leila e maíra)…

…, falado sobre a fofura dos pinguins e de como no fundo dá uma peninha de chegar tão perto e assustá-los…

…, contado cada particularidadezinha dos dias mágicos em torres del paine…

… e outras coisas mais. neste momento, poderia dar mil exemplos que mostram o quanto a província em que vou viver no próximo mês é bonitinha e tranquila (ok, vou dar um: hoje, a manchetona de três jornais diferentes da região, ocupando meia página, era “começa o ano letivo em chubut”. incrível, não?).

mas o fato é que não me deu vontade de fazer nada disso, talvez porque este tenha sido quase um mês de férias, e férias são o tipo de coisa que gente comenta depois ao vivo com os amigos, rindo e mostrando foto.

férias? quem me conhece bem sabe que, enquanto estou de férias, sumo do mapa quase definitivamente. não sinto saudade (desculpem os próximos, mas é verdade!), desligo o telefone no primeiro minuto e nunca acesso a internet nem ligo pra ninguém, a não ser para avisar à minha família, de vez em quando, que ainda estou viva (até porque a minha falta de notícias aos familiares já lhes causou umas chatíssimas dores de cabeça).

nas últimas semanas, entretanto, senti essa falta esquisita das pessoas, procurei locutorios quase diariamente e já telefonei para a minha irmã duas vezes, só pra ouvir a voz dela. estranho. não é que eu esteja completamente morta de saudade, nem querendo voltar, nem chorando por aí, nada disso. mas não deixa de ser estranho.

isso aqui é mesmo muito diferente de férias. e eu estou adorando.

Anúncios

5 comentários sobre “começo

  1. Fabiana David 01/03/2012 / 12:02

    Minha flor,
    Não há nada mais precioso do que a possibilidade de ser livre. Esse caminho escolhido por ti é prova disso. O desprendimento é algo fantástico quando se é vivido 100%. Preguiça, conexão ruim, escrever… Tudo faz parte desse seu novo processo. O que não se pode deixar apegar é o medo de experienciar esse novo mundo e traduzi-los em palavras. O medo de errar deve ser esquecido… Simplesmente: viva, seja, recomece… Não deixe o ponto final fazer parte desta história que, pra mim, já é LUZ.
    Ilumine-se!! Muitas alegrias…
    Bjs,
    Fabi

  2. Veronica 03/03/2012 / 14:17

    Pena que em uma dessas vezes em que você me ligou a minha voz era igual a de um monstro!

  3. Marcia Caminada 04/03/2012 / 21:29

    Que beleza de viagem!! Parabéns pela coragem!
    Bjkas,
    Marcia Caminada

  4. Elizabeth Pimentel Torres Gurgel 06/03/2012 / 02:12

    Estranho, eu poder dizer que estou com saudade, mas uma saudade boa, gostosa, de saber que minha filha está fazendo o que gosta, o que a faz feliz. Saber que descobrir tantas coisas, visitar lugares, realizar sonhos, seguir literalmente em frente não é para qualquer um. E por isso estou aqui para acompanhar você na sua “travessia” sempre que você der este privilégio. Parabéns pelo seu esforço, coragem, desapego e amor à vida.

    E obrigada Deus por esta filha!
    Amo você!
    Boa viagem!
    Bjks
    mãe

  5. Paulo Cesar Gomes Gurgel 11/03/2012 / 13:19

    Estou orgulhoso de voce, como sempre.
    Jah mandamos o seu blog para as pessoas conhecidas que podem apreciar.
    Gostei de “rever” o glaciar Grey e fico sempre imaginando as aventuras e experiencias novas que voce estah desfrutando. Me dah inveja nao ter sido corajoso como voce quando eu era mais novo. Tambem gosto de cair no mundo e, se puder, ir sempre em frente. (Se bem que volta e meia dah uma saudade do meu travesseiro!!!).
    Bola pra frente. Quando chegar a hora certa e o lugar certo, se possivel iremos te ffazer uma visitinha. Talvez melhor esquecer, neh? Sei lah…, mas nao queremos atrapalhar seus sonhos e seu crescimento.
    Tenha bom proveito sempre e de tudo nesta viagem.

    milhoes de beijos do velho
    Pai

comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s